Dica do profissional

Bate papo com Tatielly Zammar

O Bate papo dessa vez é com a arquiteta Tatielly Zammar, além de ser formada em arquitetura ela é pós-graduada em Design de Interiores, está super qualificada para falar sobre decoração não é mesmo. Ela participou da Casa Cor no ano passado e afirma que esse tipo de evento é muito importante para buscar atualização profissional. Aqui ela fala sobre a profissão, sobre o nascimento de uma ideia e projeto e dá dicas de tendência para os próximos 10 anos. Gostou? Então confira tudinho…

UCCP – O que foi determinante para você escolher sua profissão?

Tatielly Zammar – Eu cresci em meio à moda, com a minha mãe estilista, sempre viajando e eu adorava acompanhá-la. Mas no fundo percebi que não era o trabalho com a moda que eu gostaria de seguir, e vi na arquitetura uma linguagem de criação e inspiração que me chamava atenção. Hoje sou apaixonada pelo que faço.

UCCP – Quais são as qualidades indispensáveis para ser um bom arquiteto?

Tatielly Z. – Um bom arquiteto precisa ser primeiramente muito curioso, ousado, criativo e viajado. Todas as experiências de vida se tornam relevantes, pois trabalhamos com uma diversidade de pessoas, e precisamos ter a sensibilidade da psicologia para abordar os projetos e definir os conceitos. Esta profissão exige uma atualização diária e a busca pelo resultado perfeito na realização de sonhos.

Captura de tela 2015-08-06 13.57.21

UCCP – Como você definiria seu estilo, existe algum preferido?

Tatielly Z. – Sim, trabalho com a mistura de estilos, que vai do clássico ao contemporâneo com toques rústicos. Esta mistura exige muita sabedoria, pois a harmonia e o equilíbrio das linhas trabalhadas são fundamentais para o resultado final. E esse desafio me agrada muito, além de termos um resultado sempre autêntico e personalizado.

UCCP – Como nasce um projeto ideal? Qual o seu sentimento ao ver suas obras concluídas?

Tatielly Z. – Um projeto ideal nasce após a concepção e captação do briefing. Quanto mais dedicação temos nesse início, mais fácil o conceito do projeto aflora. E geralmente o “insight” vem em momentos fora do horário de trabalho, como finais de semana e principalmente nas madrugadas. Acho isso fantástico. A sensação de ver obras concluídas, principalmente reformas, onde temos o antes e depois, e ver a transformação do espaço me fascina. E também com projetos arquitetônicos, que surgem num terreno vazio e de repente compõem com o entorno existente, fazendo parte do visual urbano daquela cidade. E nos projetos de interiores também, pois vemos que a nossa interferência preencheu de tal maneira o espaço do cliente, que nos tornamos responsáveis pela funcionalidade e beleza do dia a dia das pessoas. Um bom projeto, com bons resultados, tornam-se eternos.

UCCP – Qual foi o pedido mais inusitado de um cliente?

Tatielly Z. – Difícil! Talvez para mim, tenha sido bem inusitado fazer o projeto de interiores de uma suíte de motel, onde a ousadia que tanto me atrai nos projetos era ponto fundamental… Foi muito bom fazer.

Captura de tela 2015-08-06 14.07.07

UCCP – Quais tendências você poderia apontar para os próximos 10 anos?

Tatielly Z. – Acho que cada vez mais vamos nos deparar com a miscigenação de tendências, onde o que realmente se destaca são os estilos próprios de cada um, com atualizações necessárias de acordo com o novo, que cada vez mais rapidamente chega ao nosso alcance. No que diz respeito aos espaços, ambientes multifuncionais e integrados ganham destaque cada vez maior, e o reaproveitamento de materiais e qualquer peça que possa compor um espaço tende a crescer, pois precisamos focar nas renovações, sem desperdício.

UCCP – É possível decorar sem gastar muito? Por onde começar e no que vale a pena investir?

Tatielly Z. – É possível sim. Lembrando que a base do ambiente como piso, paredes, forro e iluminação são elementos que considero bem importante e acho que vale a pena investir em bons materiais, mesmo que custe um pouco mais. Estes itens são mais difíceis de serem alterados sem grandes reformas. O restante já fica mais fácil, e se você não pode investir agora, nada impede que faça depois.

UCCP – Tem algum espaço decorado por você que possa mostrar e falar um pouco sobre?

Tatielly Z. – Sim, a cozinha Gourmet do Loft da Gourmet projetado para a Casa Cor Paraná 2014. Baseado no conceito de morar bem, o Loft apresenta tendências com uma mistura de estilos em uma composição ousada, criativa e elegante. A base do projeto é feita pela contraposição do azul mediterrâneo aos tons neutros, que vão da paleta de beges e marrons até o dourado, o que traz aconchego e sofisticação ao espaço. O contraste de materiais, cores e revestimentos, remete a um conceito retro-chic. O diferencial é brincar com as texturas, juntando superfícies foscas e rústicas com materiais lisos e brilhantes, acabamentos artesanais com industrializados, formas simples e retas com formas clássicas e ousadas. O destaque do Loft é a cozinha planejada para uma chef que na arte de cozinhar resgata a sua história, com receitas e temperos de família, além de adorar receber amigos e degustar um bom vinho. Uma cozinha contemporânea, cheia de inovação e criatividade.

Fotografia: Marcelo Stammer
Fotografia: Marcelo Stammer

Jogo rápido
Um arquiteto e ou decorador: Roberto Migotto
Um ambiente: cozinhas gourmet (de projetos em geral)
Um lugar: Praia, sol e mar
Um projeto: De vida??? Viajar sempre

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *