Dica do profissional

Bate papo com Gabriela Cazeca

Como gosto do bate papo aqui no blog, além de conhecer bons profissionais, ficamos sabendo um pouco sobre eles e também de dicas de decoração especiais, eu sei que vocês gostam muito disso. Dessa vez quem bateu papo com o blog foi a Gabriela Cazeca, ela é arquiteta aqui de BH e você não pode deixar de conferir essa conversa. A Gabi (estou íntima rs) contou um pouco sobre a profissão, projetos e deu dicas legais, vem conferir…
UCCP – Você teve alguma influência na escolha da profissão, já tinha algum profissional que conhecia e se identificava?
Gabriela Cazeca – Não, na verdade desde de criança eu dizia que seria decoradora, pois amava “decorar” meu quarto, minha casa, escolher o melhor posicionamento de móveis e objetos. E então ao dizer para um primo que queria ser decoradora, ele me disse para fazer então arquitetura, que era um curso mais completo. Eu tinha uns 8 anos, e desde então tinha certeza que seria minha profissão. Mas sempre admirei Niemeyer, pois era o arquiteto brasileiro mais conhecido.
UCCP – De onde tira suas inspirações para criar os projetos?
Gabriela Cazeca – Eu costumo dizer que inspiração vem de tudo. Às vezes me deparo com algum espaço, edifício, ambiente ou objeto que me faz pensar em algo a partir dele, muitas vezes completamente diferente do que vi, aquilo apenas aguçou minha imaginação e criatividade. Mas pesquiso muito, observo muito, gosto muito de viajar e observar tudo, praças, prédios, pessoas, o estilo de vida dos lugares, etc..
Bate papo com Gabriela Cazeca
UCCP – Alguma vez já encontrou alguma restrição e precisou mudar o projeto porque a estrutura da casa não suportava as modificações?
Gabriela Cazeca – Sim, é normal fazermos algum projeto de reforma e no meio da obra descobrirmos algo que impossibilita a mudança. Acho que nessas horas a experiência e criatividade fazem toda a diferença para tirarmos partido daquilo para uma outra ideia ou solução.
UCCP – Você prefere decorar um ambiente residencial ou comercial? Qual a principal diferença?
Gabriela Cazeca – Eu prefiro residencial. Porque gosto de pensar na casa das pessoas, em como elas gostariam que fossem, nos momentos de descanso, de lazer. A nossa casa é o lugar pra onde voltamos, onde temos paz. É como projetar o sonho das pessoas. Mas projetos comerciais também são muito interessantes porque possibilitam idéias diferentes de residências. Em projetos residenciais gosto de uma decoração mais neutra, com toques de cor em detalhes. Já em decoração comercial podemos utilizar mais informação, cores, etc..
UCCP – Ingressar no mercado de trabalho como arquiteto é complicado? Como foi com você?
Gabriela C. – Fiz faculdade em um momento de ascenção do mercado, então na época não tive dificuldade em conseguir estágios. Fiz vários, sempre em busca de conhecer diferentes áreas dentro de arquitetura, urbanismo e interiores. Depois de formada trabalhei em alguns escritórios e então passei a me dedicar mais aos meus projetos. É um mercado que sempre tem oportunidades, mas falo sempre que arquiteto tem que gostar de trabalhar, porque não paramos nunca.
UCCP – Qual estilo de decoração mais gosta de trabalhar, se identifica mais com algum?
Gabriela C. – Eu gosto do estilo contemporâneo, que não tem muitas regras e acaba sendo uma mistura de tudo. Gosto de uma decoração mais neutra e leve, despretensiosa, gosto de misturar estilos, mas sempre pensando em um ambiente que não tem validade, que depois de anos o cliente ainda estará satisfeito com as escolhas, uma decoração atemporal. E meu estilo preferido pessoal é o escandinavo.
UCCP – O que você acha essencial em um quarto de casal?
Gabriela C. – Acho essencial o conforto. O quarto é onde descansamos, ele precisa ser muito confortável. Sempre com uma boa cama e uma iluminação bem pensada para o casal (com diferentes seções para ambos utilizarem sem incomodar o outro).
UCCP – Você pode citar 5 itens de decoração importantes em uma cozinha?
Gabriela C. – Em cozinhas, gosto de dar destaque a uma parede com algum revestimento diferente, e o restante bem neutro para dar uma sensação de limpeza e funcionalidade. Importantes para mim na cozinha são primeiramente uma bancada generosa (dentro das possibilidades), uma cuba de preferência dupla, gosto de coifas diferentes como quadrada ou redonda, fugindo das tradicionais, gosto de um espaço tipo nicho para potes que os clientes queiram deixar a mostra, se possível um balcão para refeições rápidas.
Bate papo com Gabriela Cazeca
 UCCP – O que define um bom projeto?
Gabriela C. – Para mim, um bom projeto é um projeto pensado para o cliente. Antes de tudo, a funcionalidade é muito importante. Nós profissionais temos que perceber o que o cliente deseja além do que ele nos fala, temos que pensar como funcionaria aquele ambiente em diferentes situações, e resolver da melhor forma. Muitas vezes estamos em algum lugar e temos uma sensação agradável, e nem sabemos o porquê. Com certeza um ambiente bem pensado proporciona isso. E um bom projeto é atemporal.

UCCP – Tem algum espaço decorado por você que possa mostrar e falar um pouco sobre?

Gabriela C. – Espaço Gourmet Fazenda FL – Esse espaço foi pensado para o lazer da família, de forma a concentrar vários tipos de funções. Temos uma sala de TV integrada com a cozinha gourmet, que tem um balcão com mesa para 10 pessoas, fogão e fogão à lenha, como o cliente solicitou. Fizemos também um vestiário e sauna, camuflados por detrás do painel em madeira.Bate papo com Gabriela CazecaMinha idéia foi fazer um único ambiente totalmente integrado, de forma que o layout da sala não se fecha, podendo interagir com quem está na mesa ou cozinhando. A TV pode ser assistida de qualquer ponto do ambiente. Para criar uma limpeza visual e leveza no espaço, fiz um painel de fora-a-fora em drywall na cozinha, escondendo a torre do forno do fogão a lenha, coifa, camuflando a torre da churrasqueira, a porta da despensa, e o revestimento (tecnocimento) se estende até o painel da TV, como se fosse tudo uma coisa só.

Os revestimentos foram pensados em relação à facilidade serem adquiridos e executados com mão de obra local, por se tratar de uma fazenda, e utilizei então cimento queimado no piso e fogão, revesti as paredes e painéis com tecnocimento, utilizei forro de madeira, que vira na parede onde se encontram as portas do vestiário e sauna, camuflando as mesmas. A madeira dá uma sensação de conforto, “aquece” o ambiente, em contraponto ao frio do cinza. O restante são portas que recolhem em esquadrias de madeira e armário em ripas de madeira. O resultado é de um espaço clean, contemporâneo e arrojado. Gosto muito desse projeto. Está em construção por isso seguem imagens em 3D.Bate papo com Gabriela Cazeca

Jogo rápido:
Um arquiteto e ou decorador: Marcio Kogan, Arthur Casas / Triplex arquitetos – INT2 (são tantos haha)
Um ambiente: Sala
Um lugar: Paris
Um projeto: Casa Punta – Marcio Kogan – Casa Farnsworth – Mies Van Der Hoe /  interiores: Apartamento GN – Studio Arthur Casas
Curtiu? Tenho certeza que sim, se quiser conhecer um pouco mais do trabalho da Gabriela Cazeca é só entrar no Instagram dela: @gabrielacazecaarquitetura 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *