Mais Bla Bla Bla

O homem que queria ganhar na Mega da virada

Oi oi! Escrevi essa crônica há um tempinho, lembrei dela ontem e resolvi publicar aqui, sei que vocês gostam do tema decoração, mas fugir um pouco do assunto também é bom, foi por isso que criei a seção Mais bla bla bla. Então confira ai 🙂 Se gostarem coloco mais…

O homem que queria ganhar na Mega da virada

Já observei esse homem várias vezes, ele é o tipo de pessoa que não conta muito com a sorte, um homem simples, comum, o tipo de homem que se confunde com outras pessoas quando passa na rua. Imagino que ele é daquelas pessoas que participam do sorteio da empresa e nunca ganham nada.

Não sei o nome dele, mas todos os dias pego o mesmo ônibus com ele, ele senta do meu lado no ponto e geralmente dá bom dia, uma vez ou outra acontece uma conversa monossilábica:

– Parece que vai chover hoje;

– É, parece mesmo.

Provavelmente você já teve várias conversas assim e o tema geralmente é o tempo, ou vai chover ou está muito quente.

Geralmente eu chego no ponto primeiro que ele, sou bastante rigorosa com o tempo e prefiro esperar que perder o bendito do ônibus. Já teve algumas vezes que até segurei o ônibus para ele conseguir correr e pegar também. Mas esse é o homem, uma pessoa simples, normal que vai trabalhar todos os dias no mesmo horário e provavelmente chega em casa por volta das oito horas.

Acontece que outro dia encontrei com ele sem querer, ele estava na fila da casa lotérica fazendo uma aposta na Mega Sena da Virada. Quando vi esse homem na fila comecei a observar, parecia que nunca tinha feito uma aposta, estava meio sem saber o que fazer e confuso, depois disso comecei a imaginar o que esse homem queria com o dinheiro e o que faria.

Sei que a Mega Sena da Virada é um prêmio enorme, quem consegue ganhar acaba mudando de vida, o que faz com o dinheiro eu não sei, provavelmente não irá trabalhar mais e terá uma vida completamente diferente. Mas esse homem não, acho que se ele ganhar fará algo diferente, não sei porque exatamente, sempre imaginei o que ele fazia da vida e onde trabalhava.

Ele nunca usava uniforme e sempre descia do ônibus antes de mim, sei que no local não existe nenhuma empresa grande. E para ele pegar ônibus no horário que pegava, perto das dez e meia da manhã o serviço não era dos mais pesados, imagino que a empresa não é comum ou um comércio. A verdade é que não faço ideia do que ele faz.

Mas imagino o que ele fará com o prêmio, provavelmente esse homem tem uma família, talvez dois filhos ou filhas. Acho que a primeira coisa que faria seria mudar, sairia do bairro que ele mora, que não é ruim, mas um homem com milhões não moraria no mesmo lugar. Talvez procuraria um bairro melhor, mais bem localizado, com uma casa grande e piscina para os filhos.

Essa casa não seria das mais caras, uma casa humilde para a condição que ele teria se ganhasse o prêmio. Talvez compraria um carro ou trocaria, ele vai trabalhar de ônibus, mas sei que muitas pessoas evitam trabalhar de carro para não pegar trânsito e não pagar estacionamento. O carro também não seria dos mais caros, um caro bom, mas simples. Ele realmente não tem cara de homem ostentação.

Penso que viajaria também, para um lugar novo e bonito, talvez aqui mesmo no Brasil, existem tantos lugares lindos para conhecer aqui mesmo, ele provavelmente escolheria a pátria amada. Também doaria o dinheiro, não para pessoas aleatórias, mas para instituições sérias que realmente ajudam pessoas necessitadas.

Acontece que depois do final do ano não vi mais esse homem, já peguei ônibus várias vezes e nada dele aparecer. Ele nunca fez isso e comecei a pensar que minhas imaginações poderiam ser verdade. Será que nunca mais vou encontrar com ele? Será que ele ganhou o prêmio, mudou e está curtindo as férias das crianças em algum lugar do Brasil?

Nunca pensei que ele largaria o emprego, ele era um homem que parecia gostar do trabalho, que trabalhava não só para ter um dinheiro, mas trabalhava com prazer. Mas agora onde ele está? O tempo vai passando e minha convicção de que ele realmente ganhou o prêmio só aumenta.

………………………………….

Ele voltou. É, ele não ganhou o prêmio, tinha sumido por 20 dias, mas agora voltou. Como passei um tempo imaginando a vida desse homem não pude deixar de perguntar e tivemos mais uma conversa monossilábica:

– Estava de férias?

– Sim, tirei uns dias.

Pronto, lá estávamos nós mais uma vez pegando o ônibus. Ele apostou talvez pela primeira vez e como muitas outras pessoas, não ganhou o prêmio. Continuo sem saber o nome dele, quem sabe um dia em uma conversa monossilábica eu pergunto. Enquanto isso continuamos assim, porque a vida é desse jeito mesmo, são poucos que têm a sorte de ganhar um prêmio como esse, o restante fica apenas sonhando.

Eu até queria que ele ganhasse, não aposto mesmo. Mas saber que ele estava de volta era reconfortante, nada tinha mudado e a vida continuava da mesma forma. Quem sabe na próxima vez ele tem mais sorte, mas acho mesmo que essa foi a primeira e última vez que ele faz isso.

A seção Mais bla bla bla foi criada para falar de assuntos que não tem relação com 
decoração, mas que acho interessante compartilhar com vocês. Aqui vocês vão poder
conferir um pouco de tudo, algumas coisas que descobrir que é legal, dicas, 
textos e muitas outras coisas :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *